segunda-feira, 22 de junho de 2009

Falar sobre vingança


AAAAAAAAAAARRRRRRRRRRHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!
Pronto, estava a precisar disto.


O nosso mundinho está cheio de bolor. Gente que no lugar do cérebro tem peúgas mal-cheirosas a apodrecer de xulé (xulé ou chulé?). Não falo de pessoas menos inteligentes ou com dificuldades de aprendizagem. Falo, sim, daqueles que fazem de tudo para ver os outros infelizes. Falo daqueles que gostam de nos roubar os sonhos e que, depois de o fazerem, lavam as mãos e cospem-nos em cima. Há pessoas assim. Quantas conhecem vocês? (neste momento veio-me à cabeça toda a equipa do ministério da educação..mas isso é outra conversa.)
É nestas alturas de má-disposição que me apetece pôr em prática o conceito vingança. Sei pouco sobre fazer os outros infelizes (alguém me diga se estou a mentir) mas há momentos em que essas habilidades dão imenso jeito.
Por outro lado, gosto de acreditar que o ser humano não é naturalmente mau. Quando nascemos somos tão puros, tão apetitosos, tão doces. Como é que em décadas de existência adquirimos tanta maldade?
Podíamos tentar resolver tudo com rosas e fado...mas não é possível, já tentei. Então temos guerra aberta. Acho que não nascemos maus, mas eu acabei de me tornar numa pessoa horrível e vingativa.

Cuidado. Pessoa feroz e raivosa. Não aproximar.

(Caras colegas de blog...demorou um pouco, mas veio!)

4 comentários:

Beatriz Cró disse...

Oh filha tu não sabes nada de maldade!

Angela Ferraz disse...

confesso que esta imagem me suscita porcalhice. SEM DUVIDA

Rute' disse...

A imagem ta demais, e a maioria das pessoas é ignorante --,

Martchini disse...

a imagem esta demais.