sábado, 27 de dezembro de 2008

Moça de ar.


De manhã um copinho de leite, ao almoço uma feijoada à moda antiga, já ao lanche trémoços para acompanhar a fresca da cerveja e agora estás no ponto do busão como uma bomba atómica pronta a explodir. É uma moça de ar e chama-se peidinho. Há quem diga que um peido é um peido, mas isso para mim é inferiorizar a bodega do peido. não me vão dizer que não sabe bem lançar para a atmosfera um belo de um peido, certo?
No outro dia, após uma breve pesquisa (não muito formal; digamos que a fonte foi a sábia da minha mãe), percebi porque damos peidinhos. Nada mais lógico: os nossos intestinos têm resgurdadas bolhas de ar; quando são expelidas pelo ânus, tomama a expressão vulgar de “peido” (nome cómico, por sinal). Mais, dizem os versados na matéria que devemos soltar cerca de 14 peidos/dia. Portanto, se sintam inibidos: peidem-se! Soltem o vosso lado mais sebento e asqueroso!
Uma outra coisa muito pertinente, ainda: reparem na quantidade de nomes que existem para o designar: peido, bufa, gás, traque, pum (…). E, para lhe dar um ar mais fofinho podemos ainda usar o diminutivo: peidinho, peidito, bufinha, punzito, (…).
Presenteio-vos com uns site onde podem descobrir coisas, de certo modo, interessantes sobre peidos.
http://tecnocientista.info/hype.asp?cod=6066 (interessante: sites sobre isto portugueses são raros. Já brasileiros existem infindáveis sites. Vá se lá saber porquê... louvados sejam os brasileiros!)

*

2 comentários:

Joaninha* disse...

Gostei. Mas mesmo! :D

Mintolita disse...

Há ainda quem diga que um peido é um grito aflitivo de um cagalhão prisioneiro.
=P
*