terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Como rebolar em duas semanas.

É mais que certo: dá qualquer colapso à Humanidade durante as chamadas, estudantis, Férias de Natal. Em duas semanas, as cabeças das pessoas, normalmente cheias, atolhadas, de problemas convertem tudo em chocolates, rebuçados e bombons de várias cores.
Para o Natal já todos levam como obrigação dar uma lembrança a este e àquele amigo que não pode ser esquecido. Eu sei, não é por mal, apenas querem demonstrar o carinho que se tem por alguém e optam sempre, mesmo que em acto de desespero, por algo tão doce como o chocolate. Já lá vai o tempo em que recebíamos meias de todos os tamanhos, cores, padrões (..) Já lá vai o tempo em que recebíamos barbies, e nenucos que faziam xixi. Agora, são chocolates e mais chocolates desta e daquela marca. Vêm em caixas redondas, quadradas, trinagulares e com ou sem desenhos.
Depois de excessos infindaveis, chega o fim de (mais) um ano e todos prometem: Este ano vou começar a fazer dieta - algo que ninguém chega a cumprir. E, pior que ganhar uns quilos e uma dúzia de borbulhas, é que acabamos por ficar com diarreia!

2 comentários:

Mintolita disse...

O Natal é fantástico. Ganhar quilos nem é assim tão mau..Desde que:
a)Sejam no máximo 2
b) Os consigamos perder antes da Páscoa (depois vêm os ovinhos de chocolate =P)
c) Os quilos não vão parar directamente às nádegas. Isso é que é um problema!
*

Carolina disse...

chocolates? Mas tu só falas nessa parte mulher. Por detrás de todo esse enredo de guloseimas ainda existem meio perdidas as rabanadas, os sonhos, filhós da avó, bolo rei e a sua amada rainha, bolos de chila e muitos outros afins que a quadra natalícia promete.

(tudo isto sem minunciar outras tantas coisas que se fazem no Natal para se encher a pança (literalmente)). É de esperar que os níveis de colesterol aumentem em grande dose e que a balança mude um pouquinho de cara. -.-